Da Redação

Planejar uma viagem é essencial. Ainda mais se o destino for um lugar inédito e cheio de peculiaridades, por exemplo o Japão. Confira, por tanto, algumas dicas da Quickly Travel para aproveitar ao máximo a terra do sol nascente!

1 – Visto

Não é só comprar a passagem, fechar o pacote e embarcar. Para brasileiros, o visto é obrigatório. A lista de documentação para entrar no país, inclusive, é grande, mesmo para turistas. 

Para garantir a autorização, é preciso anexar o cronograma da viagem, passagem de ida e volta e comprovante de renda. Outro detalhe importante, é que depois de emitido, o visto vale por 3 meses. Então, não adianta tirar com antecedência nem deixar pra última hora, hein!? 

2 – Adquira o JR Pass

O sistema de transporte coletivo é um dos principais destaques do Japão. Por isso, é muito importante garantir o chamado JR Pass, que permite a utilização de forma ilimitada de trens, metrôs e ônibus da linha JR, a maior do país. 

Há pacotes de 7, 14 ou 21 dias que podem ser “Ordinary” (comum) ou “Green” (luxo). Eles são adquiridos quando já se tem o visto de turista e se ainda está fora do Japão.

3 – Você não vai comer só peixe

Nem só de sashimi e sushi vive o japonês! Mesmo dependendo bastante dos frutos do mar, a gastronomia nipônica é bem diversificada.

Além do peixe e do arroz, é possível se deliciar com o kareraissu (arroz com curry), o shabu-shabu (carne cozida que você prepara na própria mesa) e o tradicional ramem (um tipo de macarrão ensopado). Os doces levam menos açúcar e não são nada enjoativos!

4 – Abuse da mímica!  

Não conseguir se comunicar no Japão é o maior medo de 9 em cada 10 turistas. E isso é perfeitamente normal. 

O alfabeto japonês é diferente e a fonética ainda mais. Para piorar, a maioria dos japoneses não são fluentes em inglês. Na dúvida, pergunte. Os nativos são super prestativos e sempre tentam ajudar os turistas, nem que seja com mímica. Além disso, a maioria das atrações turísticas e estações de metrô possuem escritas em inglês. 😉

5 – Choque cultural

O Japão é um país de contrastes. Antigo e novo coexistem, por vezes, em grandes centros, como Tokyo e outras regiões turísticas do país. 

Não se espante, portanto, ao encontrar gueixas andando pelas ruas de Kyoto ou templos, de ascendência milenar perto de grandes centros urbanos, como a própria capital, Yokohama e etc.

6 – Maquininhas de tudo em todos os lugares

Um dos principais charmes da terra do sol nascente são as jidouhanbaiki (vending machines). São máquinas de vender tudo, sem exagero.

Desde as mais tradicionais com bebidas quentes e geladas, comidas, salgadinhos, sorvetes, livros e cigarros, até das mais exóticas como lagostas vivas, vegetais frescos, sapatos de boliche e carros… rs 

7 – Nada de gorjeta por aqui

Aqui no Brasil dar gorjetas é algum muito comum e, em alguns lugares, os “10%” são obrigatórios. Mas no Japão, a prática pode ser um insulto, visto como uma tentativa se achar superior, então cuidado, ok!? 

O serviço prestado já está com um “preço justo” e isso é enraizado na cultura de se ter um excelente serviço sem esperar nada em troca.

8 – Tipos de hospedagem

No Japão, há hotéis de bandeira internacional que oferecem serviço de hospedagem iguais aos do ocidente.

Mas também há outras formas de curtir a experiência no país. E elas podem ser bem charmosas.

Os Ryokans, por exemplo, proporcionam ao turista a oportunidade de conhecer melhor o estilo de vida local, com roupas típicas e usando colchões sobre o tatame. Já o Shokubo dá ao turista a chance de se hospedar em um templo budista e participar da rotina dos monges. 

Para saber mais sobre os pacotes de viagem acesse o site da Quickly Travel, clicando aqui, mande um e-mail para [email protected] ou ligue para (11) 2938-4200.

E aí, gostou das dicas? Deixe o seu comentário!

Compartilhar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.