Da Redação

Em uma entrevista recente à Reuters, o jogador de basquete profissional Sebastián Vega assumiu sua homossexualidade. No entanto, o atleta compartilha que esse não tem sido um caminho fácil.

“Quando comecei a me sentir atraído por um homem, passei muito mal. Senti vergonha, culpa, muita rejeição, mas ao mesmo tempo o desejo de estar com alguém”, disse ele. 

Então, quando ele decidiu sair, Vega disse que estava cheio de medo. Apesar disso, ele sabia que tinha que fazer isso. “Eu estava realmente assustado, mas o medo não me paralisou. Eu me senti verdadeiramente livre: fazia muito tempo desde que eu andava sem um peso tão pesado em meus ombros”.

Felizmente, Vega diz que seus colegas passaram a pedir desculpas por terem usados insultos homofóbicos no passado. “O mais bonito de tudo é que nada mudou – pelo contrário, mudou para melhor. Formamos um vínculo mais forte.”, finaliza Vega.

A Argentina é um país aberto quando se trata de direitos LGBT+: foi o primeiro país da América Latina a legalizar o casamento civil, isso em 2010. Além disso, a Argentina proibiu a terapia de “cura gay” e tem uma das mais abrangentes leis de direitos dos transgêneros do mundo, incluindo nome social e direito para assumirem cargos públicos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.