Por Andrei Teixeira

O Bitcoin voltou a entrar no radar de milhares de investidores no início de 2020 após voltar a bater 10K dólares este mês. A principal criptomoeda é especialmente procurada entre os investidores mais novos.

Já é mais popular até mesmo do que empresas como a Microsoft, a Netflix ou a Alibaba. Os Millennials (18-35 anos) preferem investir em Bitcoin do que em algumas das empresas mais populares do mundo. Os dados fazem parte do último relatório da gestora de investimentos Charles Schwab.

Nate Geraci, Presidente da ETF Store, empresa especializada em consultoria financeira, revelou recentemente que 90% dos Millennials registados na plataforma preferem investir em Bitcoin do que em ouro.

Essa tendência é confirmada por um trabalho acadêmico sobre o perfil do investidor brasileiro em criptomoedas. Cerca de 60% dos investidores brasileiros de criptos tem entre 20 e 30 anos, 20% tem entre 30 e 40 anos. Apenas 10% tem mais de 40 anos.

A idade média do investidor de criptos no Brasil é de 28 anos!

Mercado ideal para os mais jovens?

Como o próprio estudo anterior indica, as criptomoedas acabaram por democratizar de alguma forma o acesso a investimentos, sendo que é mais favorável a investidores com rendas mensais mais baixas.

Além disso, os jovens estão mais aptos a aderir às novas tecnologias. Isso é bem observado na famosa curva de Gauss das inovações tecnológicas:

Resultado de imagem para curva de gauss da inovacao

Quando uma tecnologia é muito nova, ela também é mais arriscada. Poucas pessoas ficam confortáveis em aderir. OK!

Quem se arrisca está na vanguarda e também está disposta a ter maiores retornos. Isso bate com a realidade do emprego dos mais jovens, que estão diante de um mercado mais competitivo e que remunera cada vez menos os salários.

Logo, o Bitcoin se torna uma alternativa de crescimento financeiro e também uma inovação tecnológica que está sendo vista por um público disposto a correr riscos e a experimentar novidades.

Os mais velhos estariam no final da curva, quando todos já adotaram ao Bitcoin e fica, muitas vezes sem saída senão aderir para não ficar fora da sociedade. Pense que o mesmo acontece com a Internet! 😉

O dinheiro do futuro

Com a crescente popularidade das criptos, um mercado que já vale US$ 300 bi, é natural que muitos vejam o potencial dessa indústria para investimentos. Recentemente, o bilionário Tim Draper defendeu que investir em criptomoedas é cada vez mais importante para os Millennials. Até porque, convenhamos, o papel moeda é lastreado em confiança de político, enquanto que o lastro do Bitcoin é a Internet.

Em entrevista à FOX Business, questionado sobre qual a solução de investimento para gerações mais novas, argumentou que a Bitcoin e as criptomoedas são uma oportunidade para os mais novos começarem a construir um “império em um novo modelo”, em oposição ao sistema bancário atual, que considera ser “antiquado”.

Lembrando que o sistema bancário também é centralizado e passível de crises, assim como os governos e suas moedas fiat. O Bitcoin, ao contrário, é antifrágil às crises, ou seja, cresce em meio ao caos, pois é considerado reserva de valor tal como o ouro!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.