Da Redação

Quem é apaixonado por essas longas caminhadas já ouviu falar sobre a famosa Trilha Inca até o topo de Machu Picchu. Mas, o que poucos sabem é que esse caminho é apenas uma de várias rotas possíveis.

Logo, se você já se aventurou uma vez pela tradicional Trilha Inca, ou não conseguiu vagas em seu roteiro ou pretende fazer outro caminho diferente desta vez, saiba que existem muitas possibilidades tão espetaculares quanto. Vamos revelar 3 “trekkings” em Machu Picchu.

Qual a diferença das rotas alternativas?

Cada trilha para Machu Picchu reserva momentos e características únicas. O fato em questão é que a tradicional Trilha Inca é muito concorrida, mais cara e tem uma limitação diária de participantes.

Ou seja, tem muito turista que é pego de surpresa, em especial aqueles que não contam com o suporte de uma agência de viagens e acabam não conseguindo vagas para o trekking.

As rotas alternativas não têm nenhuma dessas limitações. E, sendo tão belas quanto, decidimos focar um pouco mais nesses caminhos “lado B” até Machu Picchu.

Confira e se surpreenda!

A Montanha Colorida pode ser feita em 3h de caminhada. Ela tem mais de 5 mil metros de altitude (Foto: Divulgação)

Montanha Colorida

Uma das trilhas mais incríveis e fora da rota de Machu Picchu é o caminho até a Rainbow Mountain ou “Montanha Arco-Íris”. É um caminho que não vai precisar de pernoite.

São, ao todo, apenas 3h de caminhada até o destino e um desafio de mais de 5.000 m de altitude. Logo, é a trilha mais rápida e íngrime.

A recompensa vai muito além do cenário final com as montanhas coloridas, pois todo o trajeto já reserva surpresas, como a possibilidade de avistar um condor e a visita das simpáticas lhamas que, certamente, farão parte do caminho.

Salkantay

Sem dúvidas, Salkantay é a rota alternativa à Trilha Inca mais completa e repleta de surpresas e encantos. Aqui também não é necessário reservar vagas ou se preocupar com a limitação de pessoas. O percurso é menos íngrime e por isso é mais longo. Por isso, é importante preparar o corpo e se adaptar à altitude antes de iniciar o trekking.

Salkantay é um enorme vale nevado, são 6.200 m acima do mar e o caminho percorrido leva, em média, 5 dias.

Pelo trajeto, o aventureiro passa por cenários que variam de temperatura entre -5ºC e 26ºC e com paisagens que vão desde neve a locais rochosos e com matas fechadas.

Veja alguns atrativos dessa rota abaixo!

Vale dos Lares

O roteiro do Vale do Lares inclui um tour por diversos povoados que ainda mantêm suas tradições e costumes, além de contemplar paisagens incomparáveis a qualquer outro lugar do mundo.

O Vale dos Lares abrange diversas cidades e isso possibilita caminhadas e pedaladas por lugares como Lamay, Huacahuasi e Ollantaytambo. Sem dúvidas, uma experiência completa de cultura, história, sabores e atividades diversas.

Montanhas repletas de neve também podem te surpreender durante a caminhada (Foto: Divulgação)

Como fazer a trilha Inca ou uma rota alternativa sem preocupações?

Qualquer que seja o caminho que você pretenda percorrer, prepare-se com antecedência! Todo trajetos exige preparo físico e saúde em dia. 

Além disso, os trekkings precisam de acompanhamento de guias especializados, além do ingresso de entrada ao parque do Machu Picchu.

Enfim, essas foram as nossas dicas para quem pretende visitar Machu Picchu a pé e fora da trilha convencional.

Vale reforçar que todos os caminhos são incríveis e surpreendentes e, independentemente de sua escolha, sua viagem será muito especial e inesquecível! Prepare já sua mochila!!!

Curtiu este post? Então, confira também outros roteiros imperdíveis que esse país reserva aos seus viajantes. Boa viagem!

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.