Da Redação

Um estudo financiado pela Gilead Sciences sobre o uso de drogas em homens soropositivos foi apresentado na recente “17ª Conferência Europeia sobre SIDA”. Ele foi realizado em oito centros médicos distribuídos pela Inglaterra, Espanha, Grécia e Itália.

Ao todo, 1714 homens responderam anonimamente à pesquisa ao longo de 2018.

Do total, 33% dos entrevistados na Inglaterra relataram ter usado drogas para melhorar o sexo, em comparação com 22% na Espanha, 19% na Grécia e 13% na Itália. 

A principal substância usada foi a metanfetamina, frequentemente associada ao sexo químico. Na Inglaterra, 49% dos usuários de drogas usaram essa droga, número que cai para 32% na Grécia, 23% na Espanha e apenas 5% na Itália.

O uso de GHB / GBL também foi mais alto na Inglaterra. A substância é frequentemente usada como um estimulante para o “estupro”. Uma overdose de GHB pode ser fatal. 42% dos usuários de drogas recreativas na Inglaterra relataram ter tomado GHB no último ano em comparação com 32% na Espanha, 29% na Grécia e 21% na Itália.

Consequências negativas

A pesquisa também revelou que os ingleses HIV+ experimentam os efeitos adversos mais significativos das drogas químicas.

21% dos entrevistados na Inglaterra disseram que as drogas tiveram um impacto negativo em seu trabalho, em comparação com 13% na Espanha, 8% na Itália e 6,5% na Grécia.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.