Por Andrei Teixeira

Na China, as autoridades estão planejando recompensar soldados em criptomoedas caso a blockchain tenha sucesso no país. A informação é do jornal oficial do Exército de Libertação Popular, PLA Daily.

O porta-voz das forças armadas propôs um sistema onde são distribuídos criptomoedas aos soldados de destaque que recebem notas altas de seus professores nos períodos de treinamento. Os soldados também receberão tais pagamentos quando concluírem determinadas tarefas ou se forem excelentes em um determinado setor.

Vale destacar que esta sugestão das forças armadas vem após o aumento do interesse pela tecnologia blockchain por parte do presidente da China no último mês. Em outubro, o premier Xi Jinping discursou em favor da tecnologia, alegando que ela poderia dar um novo impulso na economia chinesa.

O presidente chinês enfatizou a importância da China assumir a posição de liderança no campo emergente do blockchain (Foto: Divulgação)

“Devemos considerar a blockchain como um avanço importante para a inovação, independente das principais tecnologias, esclarecer as principais direções, aumentar o investimento e acelerar o desenvolvimento tecnológico e a inovação industrial”, disse presidente Chinês. 

Xi Jinping apontou que os departamentos relevantes do governo e seus responsáveis devem prestar atenção em como o mundo está caminhando, pediu urgência para o desenvolvimento tecnológico do país e uma melhorar a aplicação e o gerenciamento dos recursos que permitam a China criar uma rede de poder, ao mesmo tempo que desenvolve a economia digital e promova o “desenvolvimento social” [aspas do autor].

Após as declarações de Xi, houve valorização das ações da Meitu e da Pantronics Holdings. As ações da Meitu, empresa editora de fotos que está trabalhando em um reconhecimento facial baseado em blockchain, valorizaram em 31%. A Pantronics Holdings, empresa adquirida pela exchange Huobi, teve uma valorização de 62%.

Economia digital e controle social

Em setembro, boatos sobre a criação de uma criptomoeda que venha a substituir o Yuan fizeram o Banco Central Chinês negar a informação. Mas cá entre nós, a China é um país de controle social amplo sobre a vida das pessoas, tanto que o pagamento por reconhecimento facial está começando a se espalhar.

Não seria grande surpresa que a corrida pelo desenvolvimento de um grande livro de anotações aliado a um sistema de pagamentos digitais e rastreáveis coloque a China como grande interessada.

Inclusive, o desenvolvimento do 5G pode abrir portas para a Internet das Coisas, de modo que a rastreabilidade avança do mundo dos pagamentos para o mundo das coisas que fazemos no cotidiano.

Reforçando que tecnologia não é ruim, mas o seu uso que pode ser. 😉

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.