Da Redação

Censurada durante o período da Ditadura no Brasil, a peça Apareceu a Margarida ganha uma nova versão e entra em cartaz em São Paulo.

Em novos tempos, o monólogo coloca no palco do Teatro Eva Hertz professora Margarida, interpretada pela atriz Marília Medina, que não tem medo de falar a verdade simples e dura para seus alunos, como “vocês todos vão morrer, sem exceção”, mas que, ao mesmo tempo, é humana e consegue enxergar à frente de seu tempo.

Escrita há 50 anos pelo dramaturgo carioca  Roberto Athayde, a peça voltou aos palcos dirigida por Bruno Garcia.

“Buscamos manter extrema fidelidade à essência da dramaturgia de Roberto Athayde. É um texto que nunca perde a atualidade, nunca fica datado. Foi o que percebemos no Rio, aqui em São Paulo, e é o que queremos mostrar novamente para o público, levando à tona a reflexão sobre relações de poder, que estão cada vez mais atuais”, observa o diretor Bruno Garcia.

Serviço

Apareceu a Margarida (Av. Paulista, 2073 – Cerqueira César)
Temporada: até 5 de dezembro
Dia e horário: quinta, às 21h
Classificação: 14 anos
Duração: 75 minutos
Ingresso: De R$ 25 até R$ 50

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.