Por Vinicius Martins

O casal de portuguesas MP e Bárbara voltaram ao Youtube com o projeto #NãoMeCalas.

Elas traçam um novo perfil de vídeo, onde o tema é a homofobia dentro das famílias. AFinal, da mesma forma que no Brasil, assumir a homossexualidade não é algo simples, coreto!?

No vídeo, as meninas aparecem segurando cartazes com afirmações ouvidas por elas mesmas dentro de casa.

A que mas ouvimos foi: “Você não é normal. Uma mulher que gosta de mulheres não é normal”, afirma MP ao conversar com o Claro e Criativo.

As frases mostradas no primeiro vídeo foram ouvidas pelo casal (Foto: Facebook)

“Já vivenciamos homofobia dentro de casa sim! E foi por termos passado por isso que surgiu o ponto de partida para a realização do primeiro vídeo. Um dia sentamos frente a frente e decidimos conversar sobre todos os obstáculos que ultrapassamos na vida. Partilhamos as duas as nossas batalhas e esta foi uma delas. E depois de termos recebido tantas histórias de outras pessoas por mensagens e tantos pedidos de ajuda, decidimos começar este projeto. Nós tomamos uma decisão: seremos a voz de quem não consegue gritar”, finalizou.

Agora, o casal pretende fazer novos vídeos voltados ao preconceito familiar e social. “Pretendemos trazer para o próximo vídeo o que as pessoas LGBTs ouvem em casa e pela sociedade. Mas, isto não é um projeto apenas para LGBTs. Queremos falar sobre a expressão de gênero, assédio, violência doméstica, gordofobia, sexo, entre outros assuntos. É um projeto que tem como objetivo levar ao mundo o quanto o preconceito pode magoar e destruir a vida de uma pessoa. É necessário tocar as pessoas e mostrar a realidade de muitas pessoas que sentem esse tipo de desigualdade na pele todo dia”.

Brasil e Portugal são homofóbicos?

Com culturas parecidas, Portugal é hoje um abrigo melhor para muitos LGBTQs brasileiros que buscam viver e trabalhar tranquilamente. Mesmo sendo um dos países mais seguros do mundo, a homofobia e o preconceito ainda estão presentes em parte da população lusitana.

Casal ergue a bandeira LGBT em Portugal (Foto: Facebook)

“Portugal e Brasil são muito próximos, mas em Portugal não existe tanta opressão como no Brasil. E estamos gratas por isso. O maior problema de Portugal é que as leis existem, mas os profissionais da Justiça não estão favoráveis às vítima na maior parte das vezes. As autoridades também não sabem como agir quando são chamadas por discriminação sexual ou de gênero”, afirma MP.

Segundo ela, ter leis não torna o país menos homofóbico. “As pessoas habituaram-se a dizer ‘isto já está mais evoluído’, quando na realidade não está. Evoluídas estão as leis, não as pessoas. É necessário quebrar a ideia disfarçada de que não existe preconceito em Portugal”.

Elas lembram que há pouco tempo um casal foi vítima de lesbofobia em Portugal, quando há 2 anos passaram por uma situação de constrangimento na rua, em plena luz do dia, as pessoas viram e não fizeram nada.

Comparado ao Brasil, Portugal é menos homofóbico e mais seguro. “Por isso, para quem está de malas prontas para vir viver para Portugal, vai notar uma diferença muito grande. Lembrando que isso não significa que não sinta preconceito por aqui”, lembra MP.

As meninas terminam a entrevista dizendo: “A [email protected] @s [email protected] que estão a caminho, sejam [email protected] Juntem-se a nós para fazer do mundo um lugar melhor!!!”

=)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.