Por Andrei Teixeira

De uns meses para cá, o Youtube tem se tornado um verdadeiro substituto da TV. Já existem vários canais com programação “televisiva” e agora publicidade recorrente.

A publicidade de vídeos já deve, provavelmente, ter deixado desconfortável durante o vídeo, porque reduz a experiência de acesso à informação. É semelhante ao que aconteceu há uns 10 anos com a TV a cabo, quando ela começou a colocar publicidade em sua programação.

Vivemos num mundo com tanta informação que a busca por renda também escorre para todos os meios possíveis. São propagandas pelo rádio, pela TV e agora pelo Youtube.

E o que pode ser feito pra gente ter um grau bacana de experiência de “vídeo informação”?

Para conseguirmos manter um grau relativamente agradável, seria muito legal se:

  • as propagandas pudessem ser reduzidas (o que, provavelmente, não vai acontecer sozinho);
  • instalássemos o AdBlocker, um bloqueador não oficial e pirata (o que trás o risco da observação de dados por parte das gigantes da tecnologia, manchando nosso histórico de busca);
  • pudéssemos pagar o Youtube Premium, que retira as propagandas em curso, similar ao Spotify Premium, que tira a propaganda das músicas (mas aí estaríamos transferindo renda para seu já bilionário desenvolvedor, o Google, reforçando a atual estrutura de desigualdade que vivemos);
  • pudéssemos encontrar uma nova rede de relacionamento de mesma função, por exemplo o Vevo (mas com o custo de não encontrar tanta diversidade de conteúdo);
  • seguir com o atual modelo, mas podendo opinar de forma inteligente sobre nosso desgosto por propaganda.
Resultado de imagem para liberdade economica escolhas
A sociedade caminha para um momento onde o acesso a experiências é mais importante do que a posse de bens, então vale a pena tentar todo o possível para escapar do que reduz nossa liberdade (Foto: Divulgação)

Você já passou pela enquete do Youtube, antes de iniciar um vídeo, sobre que marca você compraria?

Se sim, essa é uma grande oportunidade para mostrarmos para o Google que não queremos esse tipo de custo.

Se sim, você já deve ter visto que a última opção é “Nenhuma das anteriores”.

Ao selecionar essa opção, já falamos que não queremos ver propaganda das 4 marcas acima, o que provavelmente colocaria outras 4 marcas para escolher. Pelo mesmo raciocínio, devemos seguir clicando em “Nenhuma das anteriores” até que o leque de empresas existentes acabe.

Se parece muito chato ou trabalhosa essa opção, então preciso reforçar que nosso ponto de vista, por menor e atômico que seja, é importante em conjunto e quantidade.

O Facebook perdeu valor de mercado quando alterou o algoritmo de exposição de posts para favorecer grandes páginas. Como consequência, pessoas deixaram de publicar e até a excluir perfis. O Facebook foi “forçado” a ajudar as pequenas páginas, com a retomada do algoritmo de exposição anterior.

O mesmo pode – e deve – ser feito com o Youtube, contra propagandas! Isso nos dá mais liberdade de escolha por experiências de qualidade!!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.