Ripple: A criptomoeda dos bancos

A ripple é uma grande promessa para os próximos 2 anos, já que está montada em cima do sistema bancária e tem muito mais vantagens que o bitcoin

0
69

Da redação

A Ripple é um protocolo de pagamento distribuído criado em 2011 por Jed McCaleb e Chris Larsen. A moeda que está entrando na moda em 2019 pretende permitir pagamentos seguros e instantâneos de qualquer tamanho e quase gratuitos, já que suporta tokens que podem representar moedas físicas, ouro, milhas ou qualquer outra coisa.

Nativamente possui XRP como marca de moeda oficial do sistema.

Por conta da possibilidade de conversão bem mais rápida que o bitcoin e em diversas moedas físicas, o sistema está sendo adotado por muitos bancos e semelhantes, e essas instituições são justamente o foco da moeda.

Ele pega a tecnologia da Blockchain e usa para substituir a forma arcaica que os bancos realizam transações. Pode reduzir os 3 dias de confirmação para apenas alguns segundos e consegue pagar menos de US$ 0,01 por qualquer bloco de informação enviada.

Isso queri dizer que a Ripple da uma capacidade aos bancos competirem com as demais criptomoedas, o que parece uma contradição em relação às ideias originárias e libertárias dos fundadores do Bitcoin: garantir maior liberdade financeira às pessoas.

Atualmente, a XRP já se encontra na segunda posição das criptos de maior valor, pois acabou de superar a Ethereum no final de DEZ e ainda está atrás do Bitcoin.

Outro ponto diferente e crítico é a sua forma de distribuição: existem 100 bilhões de XRP e praticamente todas elas estão/estavam nas mãos dos criadores; 20% foram distribuídas para seus criadores e os outros 80% ficaram com a Ripple Labs, a central de testes e processamento da moeda. Dentre outros motivos, isso explica o que porque que a XRP ainda não decolou em valor de mercado.

Uma curiosidade é que 0,000002 de XRP é destruído em cada transação. Isso tem uma vantagem dupla, pois ao mesmo tempo que impede que alguma entidade ataque a rede devido aos gastos que ocasionaria, também aumenta o valor da moeda que vai ficanado mais escassa. Atualmente mais de 7 milhões de XRP foram destruídos.

Por fim, Santander, American Express são umas das grandes empresas e bancos que já vem adotando a tecnologia do protocolo Ripple. O XRP teve uma grande alta e em 2018 perdeu menos valor que do suas concorrentes, disputando a segunda posição em marketcap. Alguns pagamentos entre Estados Unidos e Reino Unido já vem sendo realizados por meio do protocolo Ripple.

CONCLUSÕES

A Ripple ajuda a manter o sistema que justamente o Bitcoin e todas as outras criptomoedas estão tentando derrubar, os bancos. Ao aliar-se ao tradicional sistema de pagamentos, ela os fortalece, algo que vai contra toda ideologia proposta até agora. Isso também explica porque menos pessoas as tem visado para obtenção de lucro. Mas a ideia e beleza do sistema de tecnologia descentralizado continua sendo sensacional.

Se você simpatiza com as ideias por trás do bitcoin e de outros Criptoativos, então você definitivamente não deveria apoiar o projeto Ripple. Não trate as criptomoedas meramente como uma forma de lucrar, o benefício da tecnologia é o foco, o lucro é um bônus.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.