Da Redação       

Com 120 anos de existência, Belo Horizonte, ou apenas BH, está mais atrativa para o turismo de lazer.

É o que afirma a 4ª Pesquisa de Satisfação do Turista de Belo Horizonte, realizado pelo Observatório de Turismo da Belotur em parceria com a área de Estudos Econômicos e o Núcleo de Turismo do Sistema Fecomércio-MG, Sesc e Senac.

Os visitantes ainda avaliam positivamente a infraestrutura, os serviços e o atendimento que receberam.

De acordo com o estudo, a capital mineira vem se consolidando como um espaço para se divertir e relaxar desde 2014. Naquela época, apenas 11,8% das pessoas procuraram BH com essa motivação, enquanto 21,8% viajaram a trabalho. Em 2015, data do último levantamento, o interesse pelo entretenimento passou do quarto lugar da lista para o primeiro, situação que permanece. Neste ano, 27,7% dos entrevistados buscaram lazer ou descanso na cidade. Já 24,6% estiveram a trabalho ou negócios, e outros 21,4% visitaram amigos e parentes.

Na região da Pampulha, Casa JK é uma opção de passeio (Foto: Andrei Teixeira)

“A pesquisa de satisfação do turista aponta um cenário positivo para a cidade, o que é mais um motivo para Belo Horizonte comemorar seus 120 anos. Ações integradas entre agentes públicos e cadeia produtiva do turismo estão dando resultados importantes, com avaliação superior aos anos anteriores em todos os quesitos apurados, o que impulsiona projetos de todo o setor para 2018. Essa avaliação, aliada com o percentual de intenção de retorno (93,6%), revela uma Belo Horizonte surpreendente, focada em melhorar e aprimorar cada vez mais a qualidade de sua estrutura, serviços e produtos”, afirma Aluizer Malab, presidente da Belotur.

A analista de Turismo da entidade, Milena Soares, avalia que essa mudança na imagem de Belo Horizonte é bastante positiva. “Além de continuar a ser um destino de negócios, a capital também passou a ser reconhecida como um espaço para o lazer, voltado para jovens, famílias e pessoas em busca de atividades culturais. São mais oportunidades para o setor de turismo”, destaca.

Além disso, ela ressalta que o visitante ficou satisfeito com o que encontrou na cidade. “Todos os aspectos avaliados, envolvendo infraestrutura, serviços e atendimento, tiveram um resultado superior em 2017, em relação a 2015. Isso indica que o padrão de qualidade de BH está crescendo gradativamente, especialmente no quesito gastronomia, que recebeu a maior nota (4,51 pontos em um total de 5)”, ressalta. Outros destaques foram diversão noturna (4,35), bares e restaurantes (4,32), hospedagem (4,25) e atrativos turísticos (4,23).

Confira a pesquisa clicando aqui

Conforme a pesquisa, 72,9% dos turistas permaneceram na cidade por até cinco dias, e 93,6% pretendem retornar. Os gastos neste ano, em valores nominais, foram, aproximadamente, o dobro do registrado no levantamento de 2015. A analista de pesquisa da Fecomércio MG, Elisa Castro, observa que o resultado indica que ainda há um grande potencial a ser explorado pelo setor de turismo. “É possível trabalhar com diversos pontos e ampliar a oferta de produtos e serviços para os visitantes, gerando um impacto importante em toda a cadeia, incluindo o comércio”, completa.

Entre os atrativos turísticos que chamaram a atenção dos viajantes, o Mercado Central foi o mais citado (17,6%), seguido pelos bares e restaurantes de modo geral (15,5%). Na lista aparecem ainda o Conjunto Arquitetônico da Pampulha (12,5%), a Praça da Liberdade (5,5%), Parque Municipal (5,3%) e museus (5,1%). O estudo foi realizado nas portas de entrada e saída de Belo Horizonte (aeroportos, Conexão Aeroporto e rodoviária), além do Mercado Central, Circuito da Praça da Liberdade e Feira de Artesanato da Avenida Afonso Pena. Participaram turistas que, ao menos, pernoitaram um dia na cidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.