Por Andrei Teixeira

Nigel Farage é um político inglês representante do ultraconservadorismo. Assim que Trump foi eleito ele deve ter ficado muito surpreso, pois veio a público dizer que não fazia ideia de que o Brexit seria tão grande e com impactos tão rápidos.

A eleição do bilionário ianque desperta muita insatisfação mundo à fora, pois Hillary Clinton é a candidata do globo, enquanto que Trump é o candidato apenas dos EUA. Porém, quem elege o presidente norte-americano são os próprios e não os demais eleitores e cidadãos dos outros países.

trump-e-farage
Durante a campanha norte-americana, Farage, que é o grande porta-voz do Brexit, apoiou Trump para a Casa Branca (Foto: Divulgação)

Ainda não se sabe se ocorreu fraude nos estados de Michigan, Wisconsin e Pensilvânia, pois essa é uma das primeiras eleições onde inclusive a urna eletrônica está sendo utilizada. Se ocorreu fraude, poderia haver mudança no resultado final e Hillary Clinton seria eleita.

Na Califórnia a sensação é de um quase golpe para uns e de golpe explícito para outros. As ideias e as práticas de Trump estão totalmente contrárias àquilo que os pais fundadores da pátria pensavam.

George Washington, Thomas Jefferson e John Adams jamais imaginariam ou jamais permitiriam que uma pessoa como Trump – machista, LGBTTfóbico, xenófobo, racista, bilionário e qualquer outra atribuição negativa que se possa fazer – chegasse à Casa Branca. Ao menos essa é uma versão mais moderna da coisa toda…

Muitos californianos têm expressado sua ansiedade em redes sociais e uma das mais populares pelo Twitter é justamente o #CalExit, um movimento que está surgindo de maneira bem lenta ainda nos EUA pela saída da Califórnia do país, o BrEXIT da CALifórnia.

calexitii
O clima anda tenso nas principais avenidas das principais cidades da Califórnia e região (Foto: Divulgação)
calexit
Jovem segura bandeira dos EUA em gesto de desprezo e mostra a força do símbolo californiana estampado em camiseta (Foto: Divulgação)

Muitos são os protestos nas maiores cidades do estado: San Diego, Los Angeles, Oakland, Santa Barbara. E em cidades nos estados vizinhos também: Portland (Oregon), Seatlle (Washington), Carson City (Nevada)…

Segundo a agência Ansa, partidários do movimento apresentaram uma proposta de referendo a ser realizado em março de 2019. Para ser aprovado, deverá receber ao menos 500 mil assinaturas para a proposta vire realidade durante as eleições estaduais de novembro de 2018.

Mas a proposta só terá validade se ao menos 50% dos californianos forem votar e se “sim” ocorre para mais de 55% das urnas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.