Por Vinicius Martins

Num mundo onde as quatro paredes não existem mais, ou seja, onde a privacidade está cada vez menos presente, como construir uma vida sem que todos – como amigos, familiares e até mesmo colegas de trabalho – opinem? Com esse panorama de vida, um casal de meninas portuguesas resolveu criar um canal no Youtube para mostrar ao mundo “como é ser lésbica”. Afinal, qual a diferença de um casal formado por um homem e uma mulher e um entre duas mulheres? Elas casam? Viajam? Elas têm TPM juntas?  Para responder, ou não, essas e outras tantas questões é que o MP & Bárbara  está no ar!

O webcouple, termo em inglês que quer dizer casal de internet (em português literal), é formado por Bárbara (19 anos) e a namorada de 22 anos MP (nick que prefere usar ao seu nome próprio). Juntas, elas mostram aos seus seguidores tudo aquilo que fazem, muitos vídeos são apenas imagens com um fundo musical romântico. Aparentemente, a ideia não é encher as pessoas de falas e sim deixar que as cenas apresentem toda a situação e, desta maneira, a pessoa que está vendo o vídeo tire suas próprias conclusões. As “aventuras” do casal de youtuber português passa-se entre as cidades de Barcelos e Ermesinde, localizadas na região Norte de Portugal.

Morando em cidades diferentes, o casal mostra todo seu cotidiano em vídeos no Youtube (Foto: Divulgação/Facebook)
Morando em cidades diferentes, o casal mostra todo seu cotidiano em vídeos no Youtube (Foto: Divulgação/Facebook)

Bárbara e MP têm uma autêntica legião de fãs espalhada pelos quatro cantos do mundo. São mais de 250 mil visualizações dos 50 vídeos existentes no seu canal do Youtube, que já tem mais de 1600 subscrições. No Tumblr e no Facebook são mais de mil os fãs que também acompanham o dia-a-dia das meninas.

Ao site português LGBT Dezanove, MP disse que o casal já recebeu mensagens de fãs do Brasil, Chile, Cuba, Espanha, Estados Unidos, República Dominicana e até da Arábia Saudita. “Recebemos mensagens de agradecimento, pedidos de ajuda, entre desabafos e receios de muitos jovens espalhados pelo mundo e de Portugal também. Ficamos muito emocionadas quando recebemos mensagens. Ficamos felizes por nos dizerem que os nossos vídeos e o nosso amor lhes dão esperança. E esperança hoje em dia é difícil de sentir”.

Mesmo com inúmeras leis que protegem a população LGBT em Portugal, como o casamento e a adoção de crianças, MP diz que ainda o medo de viver no país persiste em muitos gays, lésbicas, bissexuais e trans. A jovem de Barcelos reforça: “Ser assumido e ser ativista em Portugal é algo que aterroriza muitas pessoas”.

Mas como MP e Bárbara conseguem ajudar outros jovens? Afinal, elas também possuem pouca idade e ainda estão conhecendo a vida adulta. Segundo MP, “a maior parte dos jovens perdeu a esperança. A esperança de que é possível sonhar, amar e conseguir. Queremos continuar a dar-lhes força todos os dias para que não deixem de amar. Porque eu aprendi que a única coisa capaz de nos transformar, é o amor!”.

Compartilhar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.