Por Andrei Teixeira

É verão e os mosquitos estão mais a solta do que nunca. Temperaturas elevadas são boas para a sobrevivência dos animais e um habitat mais úmido é essencial para que as espécies voadoras se reproduzam.

Dentro das classes de mosquitos, temos o Aedes Aegypti, o transmissor da famosa dengue

Depois da picada do mosquito com o vírus, os sintomas se manifestam normalmente do 3º ao 15º dia. Esse período é chamado de incubação. O tempo médio de duração da doença é de cinco a seis dias. É só depois do período de incubação que os seguintes sintomas aparecem: febre alta com início súbito; dor de cabeça; dor atrás dos olhos, que piora com o movimento deles; perda do paladar e apetite; náuseas e vômitos; tonturas; extremo cansaço; manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores; moleza e dor no corpo; e muitas dores nos ossos e articulações.

Mas o Aedes também tem transmitido outra doença, a chikungunya, através do Zika vírus. Os sintomas da doença são similares, embora mais brandos do que a dengue.

As questões econômicas e a nossa vida real

Muita gente confunde Finanças com Economia, achando que ambas tratam de dinheiro, mas na realidade, as Finanças são uma parte pequena da Economia. Isso quer dizer que a segunda delas é a mais ampla e deve tratar de mais conteúdo que não apenas de dinheiro.

Falar de Finanças significa basicamente falar das verdinhas, mas Economia busca as relações sociais e políticas, seja entre pessoas da mesma função, seja de pessoas de funções diferentes, seja entre indivíduos e instituições, seja apenas entre estas; também significa entender como as características geográficas e naturais impactam a alocação de recursos materiais e intangíveis e as escolhas das pessoas nas várias dimensões de sua vida; significa ainda a administração do dinheiro, a organização das contas, o planejamento de um orçamento doméstico ou de uma nação inteira e o lidar com a variação dos preços tanto dentro de casa, quanto na empresa, quanto no país como um todo.

Enfim, Economia é constituído por um conjunto muito amplo de forças que impactam todos os aspectos da vida das pessoas, das instituições e das nações como um todo. E a saúde é uma dessa dimensões que são impactadas.

Quando um país, que ainda está em desenvolvimento e com problemas na sua infraestrutura de combate a um mosquito, entra em recessão e quando os micro-organismos tendem a se tornar mais resistentes, por conta da seleção natural advinda do uso exacerbado de remédios utilizados pelos seres humanos, a ponto de novas doenças surgirem, então o quadro para o desenvolvimento de um novo surto epidemiológico está montado.

O combate a qualquer enfermidade passa pela pesquisa científica, pelos testes e pala aplicação dos medicamentos. Isso demanda recursos materiais, como laboratórios e utensílios, centros de aprendizagem, pequenas clínicas de atendimento, etc. Também demanda pessoas que aprendam as disciplinas da área da saúde, professores, médicos, enfermeiros, atendentes, secretários, voluntários para as pesquisas, etc. Também demanda recursos mais intangíveis, como o pagamento de todas as partes e os toda a energia, o tempo e o trabalho que será dispendido por todas as partes envolvidas.

Quando as finanças do país passam por um momento de aperto, então parte dessa estrutura acima citada está comprometida, seja porque haverá menos centros de ensino e pesquisa, seja porque haverá menos testes laboratoriais, seja porque haverá menos hospitais e por aí vai.

Pesquisadores auxiliam no combate ao mosquito (Foto: Divulgação)
Pesquisadores auxiliam no combate ao mosquito (Foto: Divulgação)

A prevenção da doença se passa pela visita dos agentes que fazem vistoria em várias casas, da coleta de dados que será feita e da elaboração das políticas públicas montadas a partir dessas informações. Isso até que demanda poucos recursos materiais, como as ferramentas dos fiscais e dos planejadores públicos. Mas demanda muita gente, pois a dimensão de nosso país é gigantesca e os focos do Zika Vírus não estão localizados apenas nos centros mais pobres ou mais rurais, senão pelo país todo. E os recursos intangíveis são gigantescos, com a energia, o tempo, o trabalho e a coordenação de tudo isso no agregado.

Diferentemente daquele primeiro processo de desenvolvimento da cura, o processo de fiscalização acaba sendo algo mais linear, ou seja, a execução de uma etapa depende mais ou menos dos resultados obtidos na etapa anterior. Se há poucos fiscais, pode haver uma base de dados mais escassa e esse instrumento será mais fraco para a execução de políticas públicas eficientes.

E quando as finanças do Brasil ficam mais fragilizadas, novamente alguns desses elos funcionam com mais precariedade.

Agentes buscam o foco para não deixar o mosquito se reproduzir (Foto: Divulgação)
Agentes buscam o foco para não deixar o mosquito se reproduzir (Foto: Divulgação)

Quando se olham para os dados que têm sido publicados, não deve haver motivo para susto com os casos que cresceram bastante, caso levemos em conta toda a Economia que existe por trás dessa dimensão da vida das pessoas. Na verdade, as coisas sempre podem ficar piores e existe esforço e uma relativa coordenação entre os entes públicos para que essa questão seja resolvida da melhor forma possível com os recursos que temos no momento.

O que não dá para fazer é sair reclamando da situação porque ela é complexa. E todas as coisas que envolvem Economia são complexas, caso contrário, seriam coisas de Finanças, que envolvem apenas dinheiro, uma única variável e cuja resolução de problemas deve ser mais simples.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.