Por Andrei Teixeira

No próximo domingo, dia 1º de novembro, o Museu da Imigração do Estado de São Paulo, localizado na Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca, São Paulo, receberá a tradicional festa do Día de los Muertos. O evento ocorrerá das 13h às 20h e a entrada é gratuita. A celebração é uma parceria do museu com o Consulado do México em São Paulo.

No dia seguinte, segunda-feira (02), é Dia de Finados, um feriado mundial dedicado à oração e à lembrança de entes queridos já falecidos. A tradição existe desde o século V pela Igreja Católica, foi tornada obrigatória no século XI e a data que hoje conhecemos foi oficializada no século XIII.

A oportunidade de lembrar-nos de nossos antepassados que migraram ao Brasil fugindo de guerras e pobreza em busca de uma vida melhor se faz relevante. Relembrar ou conhecer um pouco mais de nossas origens é uma maneira de imortalizar uma parte longínqua de nossas famílias. E nada melhor do que realizar essa lembrança conhecendo a cultura de um povo que o faz com alegria.

imigracao italiana
As imigrações de todos os povos pode e deve ser lembrada porque constitui parte importante da nossa história pessoal, familiar e de nação (Foto: Divulgação)

No México, “el Día de los Muertos” acontece nos dias 1º e 2, mas as celebrações se iniciam um pouco antes, no dia 30, em algumas cidades e se prolongam até uma semana depois em outras. O Museu da Imigração trará um pouco das festividades, com simpáticas caveiras, flores e cores habituais, além de diversos costumes e tradições mexicanas. As atrações do dia contam com a tradicional oferenda ao altar que reverencia entes queridos e personalidades importantes que já se foram.

As homenageadas da ocasião são Frida Kahlo, a conhecida pintora mexicana, e Tomie Ohtake, artista plástica japonesa naturalizada brasileira. Ao longo da festa, estão programadas apresentações musicais com mariachis, venda de comida mexicana, pintura facial e oficinas. As crianças também terão um espaço reservado para brincadeiras e desenhos relacionados à celebração.

Um concurso de pintura facial e fantasia irá buscar o melhor casal de catrina e catrin (as caveiras símbolo da festa). Os vencedores ganharão uma viagem para Salvador com a hospedagem e a passagem aérea pagas. Não é preciso inscrição prévia e o resultado deverá sair por volta das 17h30.

Comemorações no México

Altares vistosos e coloridos se tornam solenidades à noite, são visitados por centenas de pessoas levando suas orações para seus entes queridos em uma atmosfera cheia de misticismo. Os altares têm um significado especial. As ofertas que são colocadas representam os quatro elementos da natureza: a terra, simbolizada por frutas; o vento, representado por papel picado ou lenço de papel; a água, colocada em um recipiente para as almas que nos visitam acalmarem sua sede após o caminho a pé por muito tempo para chegar ao altar; e finalmente, o fogo, nas velas.

Outros elementos que podem ser vistos nos altares são o pão dos mortos, crânios do açúcar, doces de abóbora, tequila ou mezcal (uma bebida típica do México feita da destilação do agave), um prato com sal e uma cruz que marca os quatro cantos para encontrar a sua alma ida e volta.

O feriado do México é um grande festival que mistura gastronomia, cultura, religião e entretenimento para os povos locais. O turismo que tem surgido nos últimos anos é muito mais uma consequência do que causa das comemorações. As celebrações datam de antes da chegadas dos espanhóis, pois há relatos de que os astecas, maias e outros povos praticava o culto de uma maneira diferente, que é esta de conservar os crânios como troféus e mostrá-los festivamente para celebrar a morte e o renascimento das almas. É considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Os eventos mais conhecidas no país e no mundo são os da Cidade do México e do festival de crânios em Aguascalientes. No entanto, você pode escolher outros destinos, tais como Michoacán, Campeche e Oaxaca.

Os principais eventos do país

Aguascalientes realiza o Festival das Caveiras, a partir de 30 de outubro e indo até 08 de novembro. Este festival surgiu a fim de prestar homenagem a José Guadalupe Posada, criador de La Catrina, uma das imagens mais icônicas do país. É uma famosa caricatura, retratou um crânio que veste um chapéu de penas francês, referindo-se aos mexicanos que aspiravam ser europeus, negando suas origens.

Por uma semana, este festival divertido possui muitas atividades como concertos musicais (nomeadamente a Orquestra Sinfônica de Aguascalientes), peças de teatro, eventos esportivos, exibição de filmes, exposição de arte, oficinas de design, degustação de comidas e muitos mais. E, claro, você não pode perder o evento estrela: o Desfile Traje de Calaveras.

calavera catrina
La Calavera Catalina é tanto símbolo da cultura local quanto critica à cultura europeia (Foto: Divulgação)

Na capital, a Cidade do México, flores que enfeitam o Paseo de la Reforma e a cidade fica toda colorida. Durante a noite, ocorre um passeio de bicicletas próximo ao marco da cidade. Um dos lugares essenciais para visitar é o bairro Magia Mixquic, no extremo sudeste da cidade, cujo panteão de San Andrés é o espaço principal. Outros locais que merecem uma visita são Ciudad Universitaria e o Museo Dolores Olmedo. É uma magnífica oportunidade de conhecer esta tradição mexicana enraizado, com a ajuda dos moradores da cidade.

No estado de Michoacan, especialmente na cidade de Patzcuaro, nos dias 1 e 2 de novembro, um festival indígena foi proclamada uma obra-prima do patrimônio oral e imaterial da humanidade pela UNESCO em 2003. Aqui, a noite dos mortos é uma celebração antiga entre as comunidades Purépecha. É uma reminiscência dos entes queridos que já morreram. Cemitérios e casas são cobertos com flores de calêndula, velas, frutas, pão e incenso. Tradição, misticismo e sentimento puro se reúnem neste festival único no mundo.

Na região maia da Península de Yucatán as festividades são conhecidas como o Hanal Pixán ou “Comida das almas”. A crença popular, resultado da mistura das crenças maias e cristãs, anteriormente expostas, é que a alma de quem morre obtém permissão para estar entre nós, entre o último dia de outubro e o 1º de novembro (para as almas das crianças ou Hanan Paalal) e de 1º a 2 de novembro (para as almas de pessoas idosas).

Antes da celebração principal de Hanal Pixán, ainda existem algumas práticas tradicionais que, sem dúvida, são únicas no mundo e descendentes diretos das tradições do maia antigo. A mais particular desta é que nos dias prévios, as famílias recebem permissão para exumar os corpos dos entes queridos, realizando a Limpeza dos Ossos, pois parte da carne decomposta ainda desapareceu.

Na região de Tuxtepec, aromas, cores e sabores recordam a presença dos entes queridos falecidos. O que mais caracteriza os altares da cidade são tapetes de serragem. Estes tapetes começam a ser feitos no final de outubro, ficando prontos para as noites de 1 e 2 de novembro. Um show de luz e cor que vai impressionar o viajante.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.