Por Andrei Teixeira e Vinicius Martins

O turismo no Chile conta com uma média de 2 milhões de pessoas que visitam o país por ano, segundo o Serviço Nacional de Turismo (Sernatur), dentre eles: argentinos, norte-americanos e brasileiros. Além disso, europeus, chineses e sul-coreanos são responsáveis por boa parte desse número.

Dentre os lugares mais conhecidos, destacam-se: o Deserto do Atacama, região de observação astronômica e cheia de histórias sobre os antigos incas; a isolada Ilha de Páscoa, que guarda segredos sobre os moais e o povo Rapanui; e as cidades de Valparaíso e de Santiago, que possuem um setor de serviços bem dinâmico.

Mas há um lugar cheio de atividades turísticas que nem mesmo a Wikipedia fala: essa é a região da Araucanía, cuja capital, Temuco, se situa 600 km (e linha reta) ao sul de Santiago. Com uma população que não chega a 1 milhão de habitantes, a terra do antigo povo mapuche, também conhecidos como araucanos, abriga muitas reservas florestais.

A região está próxima de San Martín de los Andes e Bariloche, cidades argentinas muito conhecidas pelas montanhas, pelos bosques e pelos lagos, que são atrações muito parecidas com aquelas encontradas na Araucanía. Assim, há uma oferta para um turismo mais familiar e de montanha, tanto no verão (a época mais seca) quanto no inverno (posterior ao período das chuvas).

Esporte aventura é um dos chamados da terra indígena (
Esporte aventura é um dos chamados da terra indígena (Foto: Divulgação)

Cerca de 45% dessa parte do país é coberta por zonas selvagens, oferecendo outro turismo mais específico, voltado para os esportes radicais (floresta e cachoeiras) em qualquer época do ano e a prática de esquiagem no inverno.

O Lago Budi, localizado muito próximo ao Oceano Pacífico é um imenso lago salgado cercado por rucas, as casas típicas dos mapuche. Mapuche, aliás, significa “água salgada”!

Segundo o site oficial de turismo no Chile, o chile.travel, “além de dormir de uma ruca, é possível fazer kayaking, provar os alimentos típicos da etnia, escutar um relato típico lafquenche, participar de esportes como o palín e conhecer as hortas de ervas medicinais.

palin
O palín é um esporte ensinado aos habitantes da Araucanía, uma tradição passada adiante (Foto: Divulgação)

No ano de 2015, o inverno foi mais brando, o que ajudou a região do Chile a receber mais turistas. E não apenas a Araucanía, mas também a Patagônia Chilena, que se estende daí até a Terra do Fogo.

Em 3 de março, o vulcão Villarica, que é o maior vulcão do Chile e que se encontra no sul da Araucanía, entrou em erupção. O segundo maior deles também se localiza na região, chamado Llaima e que se encontra em atividade desde 2008. A lateral desses vulcões e de outros é aproveitada para a prática da esquiagem. Caso você tenha ficado na dúvida se faria uma viagem de inverno, fica uma dica para o ano que vem. É possível encontrar a ponte aérea São Paulo-Santiago (ou a volta para São Paulo) por cerca de US$ 100, o que não é muito caro nem mesmo com o dólar nas alturas.

Hospede-se!

Para quem pretende conhecer a cidade e pensa em ficar mais de um dia, Araucanía possui diversas opções de hospedagem. Uma sugestão é o Antumalal, hotel criado nos anos 40 e possui influencias do estilo Bauhaus. Quem se hospedar por lá poderá aproveitar o cenário rochoso e o lago e também os jardins.

Há apartamentos duplos, com janelas panorâmicas voltadas para o lago, enquanto dentro dos jardins se escondem três chalés, todos com o mesmo estilo arquitetônico, mas diferentes entre si. Os móveis de design original mesclam madeiras nativas, ferro, cordas, tapetes brancos e lareiras, onde se respira aconchego, simplicidade e elegância.

Antumalal é uma opção para os brasileiros que gostam de conforto e natureza (Foto: Divulgação)
Antumalal é uma opção para os brasileiros que gostam de conforto e natureza (Foto: Divulgação)

Há também o hotel DreamsAraucania, localizado em Temuco, e oferece piscina coberta, centro de spa equipado com centro de beleza e sauna. O empreendimento inclui ainda playground, massagem e serviço de quarto 24 horas. Os apartamentos possuem quartos com banheiro privativo completo. Além disso, o Dreams Araucania está situado no próximo aos centros de comprar, ao estádio municial German Becker e o Museo Regional.

Existem opções alternativas de turismo no Chile, para além daquelas que são altamente publicitadas e que por isso achamos altamente essenciais para se fazer. A Araucanía é uma delas.

Para mais informações da região é só ficar ligado no site oficial de Araucanía e para detalhes de hospedagem, guias, entretenimento, agências, alimentação e transporte clique aqui.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.